Prestes a voltar ao Brasil, Chevrolet Silverado esbanja elegância e brutalidade

Já não era novidade para ninguém que a Chevrolet voltaria atuar no segmento de picapes grandes. Recentemente a marca onfirmou o retorno da Silverado ao mercado brasileiro.

A picape chega em 2023, via importação. No passado, a GM vendeu uma versão estilizada da D-20, que trazia o visual da Chevy C/K, norte-americana. Naquela época a Silverado rivalizava com a Ford F-250. Mas ambas foram atropeladas pelas picapes médias, como a própria S10 e Ranger.

chevrolet silverado 2023 azul de frente 732x488 1
Foto reprodução

Agora, a picape retorna ao mercado para brigar num segmento de luxo, dominado pelo trio Ram 150 Rebel, 2500 Laramie e 3500. Mas a briga ainda vai aquecer mais ainda, pois a Ford também anunciou que irá vender a F-150 por aqui.

“A Silverado vem aí para atender ao consumidor que busca uma picape premium de grande porte, com o mais alto nível tecnológico e uma performance espetacular”, aponta o presidente da GM América do Sul, Santiago Chamorro.

Hoje a picape está em sua quarta geração, lançada em 2018, mas foi atualizada este ano. Nos EUA ela é oferecida nas dimensões 1500, 2500 e 3500, como os modelos Ram e F-Series.

2023 Chevrolet Silverado electric
Foto reprodução

Versões da Silverado
A GM ainda não bateu o martelo sobre qual versão virá para o Brasil, assim como opções de motorização, que por lá conta com uma gama de seis propulsores, com opções V6, V8 e até mesmo um turbodiesel 3.0 com seis cilindros em linha. Os motores podem ser combinados com transmissões automáticas de seis, oito ou 10 velocidades.

Já a lista de vesões de acabamento somam oito opções. Muito provavelmente a marca irá optar pelas versões LTZ ou High Country, que figuram no topo da linha.

Elas são equipadas com assistentes de condução, multimídia com conexão com smartphones, quadro de instrumentos digital, climatização digital, dentre outros apetrechos que são obrigatórios para uma picape que seguramente irá orbitar numa faixa de preços entre R$ 400 mil e R$ 550 mil.

Fonte: AutoPapo