Primeira fábrica de torres eólicas na Bahia é inaugurada em Camaçari

2176

tttA primeira fábrica de torres eólicas da Bahia possui estimativa de faturamento anual de R$ 120 milhões e geração de 235 empregos diretos e 55 indiretos. A unidade da Torrebras – Torres Eólicas do Brasil Ltda., empresa do Grupo Daniel Alonso, da Espanha, foi inaugurada nesta quarta-feira (8), no Polo Industrial de Camaçari, Região Metropolitana de Salvador (RMS), com a presença do governador Jaques Wagner.

A fábrica fica na BA-512, área industrial leste do Polo de Camaçari. Foram investidos cerca de R$ 21 milhões no empreendimento, que vai produzir torres metálicas para turbinas eólicas. O protocolo de intenções com o governo da Bahia foi assinado em 2011.

Segundo o governador, com a consolidação da cadeia de energia eólica, a Bahia projeta ampliar esse potencial de produção, que hoje está em torno de 11% do mercado nacional, e alcançar a liderança no país. “A chegada da Torrebras é mais uma etapa desta cadeia produtiva, que se fecha no sentido de ter os parques e os fornecedores de componentes”.

080513MD 01copyCom toda a produção de 2013 e 2014 negociada, a partir do terceiro ano de operação, a Torrebras projeta aumentar a produção de 220 torres eólicas anuais. A previsão é ampliar a planta já a partir do segundo semestre deste ano, para atingir a capacidade de 400 a 450 torres por ano. “Queremos dominar 40% da demanda do mercado”, afirma Álvaro Carrascosa, diretor-geral da Torrebras.

De acordo com o grupo, que também possui unidades de produção na Espanha e na Índia, a escolha pela Bahia se deve ao cenário positivo no setor industrial do estado e também à cadeia eólica baiana, que aumenta a competitividade por conta da logística em relação aos outros componentes dos parques eólicos.

Além da Torrebras, o Grupo Daniel Alonso é composto por outras três empresas com atuação no processamento de chapas metálicas para produção das torres, tratamento de lixo e investimentos para a implantação de projetos eólicos.

Potencial do estado

O potencial da Bahia para o aproveitamento do vento na geração de energia é responsável pela atração de investimentos nessa área, consolidando o estado como um polo de fabricação de equipamentos que compõem as torres eólicas.

Até o próximo ano, o estado receberá R$ 6,5 bilhões em investimentos no setor, gerando cinco mil empregos na implantação e 500 na operação dos projetos.Fabricantes como a francesa Alston (aerogeradores) e as espanholas Gamesa (aerogeradores) e Acciona (cubos eólicos) se instalaram em Camaçari. Outra planta industrial que começa a operar em 2014 é a da Tecsis, que vai produzir pás e acessórios para os parques eólicos.