Sucessão ao governo esquenta debate entre candidatos ao PT Bahia

candidatos_ptO anúncio do nome do candidato petista à sucessão do governador Jaques Wagner nos próximos 30 dias esquentou os debates entre os candidatos à presidência da sigla na Bahia. Por um lado, Ernesto Marques é contra a decisão da cúpula petista, por outro, Everaldo Anunciação garante que nada está decidido.

De acordo com fontes ligadas ao Bocão News, a aceleração pelo candidato petista foi ideia do próprio governador Jaques Wagner depois de perceber a repercussão em torno do Processo de Eleição Direta do partido. A escolha do presidente poderia influenciar diretamente na escolha do seu sucessor. A antecipação tende a beneficiar o secretário da Casa Civil, Rui Costa.

Em uma rede social, nesta quinta-feira (10), Marques desabafou e criticou a atitude da direção do partido. “… colocar o carro adiante dos bois e marcar para a véspera do PED, o anúncio do nome que se pretende ‘ungir’, mais do que uma imprudência política, é desrespeito à militância e às lideranças de base. Se não for usurpação das tarefas da próxima direção, é a pura expressão da arrogância de quem se acha plenipotenciário dos desejos e preferências dos filiados e filiadas…”.

Ainda de acordo com Marques, a imposição da cúpula pode causar uma derrota declarada. “É óbvio que nenhum candidato petista terá facilidade numa campanha sem o apoio dedicado da nossa maior liderança, o governador Jaques Wagner. Da mesma forma, uma candidatura empurrada goela abaixo de quem construiu o PT, dificilmente será bem sucedida. O método que se tenta impor pode ser a antessala de uma derrota eleitoral, de uma vitória eleitoral sem um petista na cabeça da chapa ou, o que é ainda pior: a vitória de um candidato petista sem o PT. Rechaço as três hipóteses”.

Entretanto, Anunciação garantiu à reportagem do Bocão News que as conversas continuam e que o candidato não será definido nos próximos 30 dias, contrariando o que foi informado na última segunda-feira (8), em encontro com a comissão do partido. Segundo ele, essa decisão não interfere no PED. “O que temos definido é que este nome sairá até o final do ano. Não tem data marcada. O que temos é a determinação da direção do partido com o aval dos quatro pré-candidatos de que devemos chegar a um consenso, sem prévias”.

Sobre a declaração do opositor, Anunciação foi enfático: “ele pode dizer o que quiser, mas sigo as determinações do meu partido. Elas são minhas guias e são mais que chapas ou correntes. Eu falo a língua do meu partido. E essa é a determinação do governador Jaques Wagner”.

Ainda de acordo com Anunciação, Wagner continua o diálogo com os partidos da base aliada e manda um recado para os que apostam em brigas e rachas do partido. “Mudem suas estratégias e busquem construir propostas para atender os anseios da sociedade e agreguem forças políticas”.

Fonte: Bocão News