Timão reduz “buraco”, mas deve fechar o ano com déficit de R$ 50 mi

robertodeandraderodrigogazzanelfpApesar do título brasileiro e da saída de alguns jogadores com salários elevados, o Corinthians ainda precisará de mais tempo para acertar o caixa. Nas contas da diretoria, o Timão fechará 2015 com um déficit de aproximadamente R$ 50 milhões, aumentando a dívida total para cerca de R$ 360 milhões.

O número poderá diminuir em virtude da venda do meia Jadson para o Tianjin Quanjian, da China. Dos € 5 milhões (R$ 21,2 milhões) pagos pelos asiáticos, o Corinthians ficará com 30%, R$ 6,3 milhões.

O tamanho do rombo é bastante menor na comparação com o ano passado. Em 2014, ainda sob a gestão de Mário Gobbi Filho, o Corinthians acabou a temporada com um buraco de R$ 97 milhões nas contas, somando futebol, outros esportes e clube social.

Desde a vitória de Roberto de Andrade para o cargo de presidente, em fevereiro, o Corinthians vem optando por cortar custos. Algumas medidas foram tomadas para que o clube reduzisse gastos exagerados até com água e energia.

A direção diminuiu também o número de pessoas nas viagens do departamento profissional de futebol. A presença de vices e conselheiros foi vetada. Eles só reapareceram na partida que valeu o título, contra o Vasco, no Rio de Janeiro. Todos os setores passaram por reformulações e tiveram de demitir funcionários.

No futebol, o Corinthians descartou loucuras financeiras para contratar ou segurar estrelas. Foi o caso de Paolo Guerrero, que pediu R$ 18 milhões de luvas para renovar e acabou acertando com o Flamengo. Após as saídas dele, Emerson e Fábio Santos, a folha salarial caiu de R$ 10 milhões para cerca de R$ 8,5 milhões.

A previsão alvinegra para 2016 é melhor. Com o recebimento das contas de televisão e expectativa de novos patrocinadores, o departamento financeiro acredita que poderá até obter superávit, mas sem fazer grandes investimentos na compra de direitos econômicos de jogadores renomados. (Globoesporte.com) Foto: Rodrigo Gazzanel / Futura Press