Após prejuízo milionário, Globo corta gastos com novelas e mordomias de estrelas

A crise bateu na mais prestigiada fábrica de novelas do mundo. Depois de negociar salários menores com atores do nível de Fernanda Montenegro, a Globo passou a cortar uma série de custos para baratear suas novelas. Eliminou regalias, como manicures e carros com motoristas à disposição para suas estrelas, e orientou os autores a trabalharem com elencos mais enxutos e a entregarem os capítulos com maior antecedência, para um melhor planejamento das gravações.

Foto reprodução

O corte de gorduras é uma reação ao prejuízo operacional de R$ 530 milhões em 2018 e também faz parte de um projeto maior, o Uma Só Globo, que já movimenta a emissora, mas só será totalmente concluído no final de 2021. Essa “nova” Globo unirá a TV aberta com a fechada e o streaming e será mais tecnológica e menos perdulária, com gastos mais “racionais”.

Os dias de esbanjamento já estão ficando para trás. Não foi imposto aos autores nenhum limite de cenas externas por capítulo, mas os produtores têm procurado ao máximo evitá-las, porque são mais caras.

O que for possível gravar nos Estúdios Globo, será gravado, e com a mão de obra mais barata. Se forem inevitáveis, as externas devem ser o mais próximo possível do Rio, para não se gastar com passagens aéreas, e com o menor número de pessoas envolvidas.

Está havendo economia também com figuração. A produção da atual novela das sete, Verão 90, estourou o orçamento com esse quesito e está tendo que gravar cenas em planos mais fechados, com menos figurantes. As diárias desses profissionais, que eram de R$ 80, caíram para R$ 60.

Cientes das restrições, as autoras de Verão 90, Izabel de Oliveira e Paula Amaral, têm oferecido alternativas mais baratas. Em uma cena em que o vilão de Jesuíta Barbosa persegue de carro um personagem numa moto, prevista para ir ao ar em 18 de junho, elas escreveram no roteiro: “Atenção produção: se for complicado fazer perseguição de carro, adaptamos para ser a pé mesmo, mas nos avisem pra mexermos nas cenas”.

Entre as mordomias, não existe mais manicure para as atrizes, a não ser para a caracterização de suas personagens. Se quiserem mudar as unhas após as gravações, as estrelas têm de contratar elas mesmas as profissionais. É o que já fazem, por exemplo, Juliana Paes e Paolla Oliveira.

Passagens aéreas e diárias em hotéis chiques agora só são pagas pela Globo quando previamente combinadas em contrato, em quantidade limitada. E isso tende a ser cada vez mais raro. Motorista para levar ator do trabalho para casa agora é coisa do passado.

Fonte: Notícias da TV /Daniel Castro (Com MÁRCIA PEREIRA e ODARA GALLO)

....